Diariamente recebemos pessoas com essa dúvida. MDF? MDP? E outras opções de materiais que fazem parte do nosso cotidiano, mas o consumidor leigo tem muitas dúvidas. Com esses esclarecimentos a compreensão das diferenças de preço de cada tipo de material também vai ficar justificada.

Durante muitos anos foi-se utilizado a madeira maciça (madeira de lei) para a fabricação de móveis. Com o passar do tempo viu-se uma necessidade de algo mais sustentável e com o avanço das tecnologias as indústrias criaram madeiras industrializadas. Tanto o MDF, quanto o MDP ou o compensado, nada deixam a desejar comparativamente às espécies extraídas da Amazônia ou da Mata Atlântica.

Todos esses painéis industrializados ainda têm como características serem menos sujeitos ao ataque de cupins, devido ao uso das resinas na sua fabricação.

 

MDF:

          

Significa Medium Density Fiberboard que, traduzindo para o português, quer dizer chapa de fibra de madeira de média densidade. É produzido por madeiras de cultivo florestal, sendo ecologicamente correto. Sua composição é feita a partir de fibras de madeira que são unidas através de resina sintética e compactada através da ação da pressão e do calor, resultando numa chapa maciça.

O MDF é praticamente equivalente à madeira nas possibilidades de trabalhar a matéria-prima. Ele adquire boa resistência e estabilidade, podendo ser torneado e entalhado, abrindo um enorme leque de produção. Os painéis são superfícies grandes perfeitamente homogêneas e sem orientação das fibras, o que permite cortes em qualquer sentido e apresentação de superfície lisa e uniforme ao toque. Além disso, apesar de não ser totalmente imune à água, ele é mais resistente à umidade. Não sofre com a variação de temperatura.

Em resumo, sua resistência, durabilidade e possibilidade de trabalho acabam tornando o MDF a melhor opção na fabricação de móveis planejados.

 

MDP:   

          

MDP é a abreviação de Medium Density Particleboard, significa painel de partículas de média densidade, é produzido por madeiras como Pinus e Eucalipto. Sua composição é feita a partir da aglutinação de partículas, que são posicionadas de forma que as maiores estejam no centro da chapa e as mais finas na superfície, elas são unidas com uma resina sintética e prensadas com calor.

A tábua resultante desse processo é largamente usada na produção de móveis residenciais e comerciais de linhas retas, pois esse material não permite formas mais trabalhadas, que exijam entalhes ou cantos arredondados. Também é menos resistente à umidade e pode possuir imperfeições.

É mais econômico, pelo fato de se usar partículas de madeira reflorestada ao invés de fibras, como é o MDF. Desta forma, há um maior aproveitamento da madeira, diminuindo assim o seu custo.

 

AGLOMERADO:

          

O aglomerado é formado por uma mistura de resíduos de madeira – como pó e serragem –, cola e resina. Essa mistura é prensada, formando os painéis que, depois, poderão receber qualquer tipo de revestimento. Geralmente é usado na fabricação de móveis de baixa qualidade, montados com cola e/ou cavilhas. Não é recomendado o uso de pregos ou parafusos, pois o aglomerado pode rachar com muita facilidade.

A principal vantagem com relação ao aglomerado é seu baixo custo. No entanto, a baixa resistência à umidade, a curta durabilidade e a dificuldade de se trabalhar com esse material – limitando consideravelmente suas possibilidades de uso – fazem com que não valha a pena em longo prazo. Se você quer móveis duráveis e que se mantenham bonitos por mais tempo, essa com certeza não é uma boa opção.

 

COMPENSADO: 

          

É um tipo de madeira feita de finas placas de entalho de madeira maciça, suas camadas são coladas umas às outras com resinas e pressão.

Os painéis compensados podem ser: multilaminados, produzidos através da colagem de lâminas de madeira prensada; ou sarrafeados, em que as lâminas internas são coladas em um sentido e a chapa externa é prensada em sentido diferente, o que deixa a placa mais resistente.

Uma razão comum para usar a madeira compensada em vez do MDF e MDP é sua resistência a rachaduras, ao encolhimento, à torção, e ao seu alto nível de força. Tem as mesmas características da madeira maciça em relação à elasticidade e ao peso. Apresenta, porém, maior resistência e homogeneidade, o que permite a fabricação de peças de grandes dimensões.

O compensado tem uma ampla utilização, podendo ser usados em todo tipo de ambiente, tanto em escritórios, residências, como também para acabamentos externos. Cada subcategoria do compensado tem a sua utilização:

Laminado: usado para ambientes internos, móveis em geral, cozinhas, salas, etc. Seu uso é muito amplo. Precisa de acabamento, como a utilização de laminados de madeira (imbuia, mogno, cerejeira e outros) ou fórmicas.

Sarrafeado: é muito usado na construção civil, em tapumes, portas e também para palcos.

 

OSB: 

          

O OSB é um painel estrutural de tiras de madeira orientadas perpendicularmente, em várias camadas, o que aumenta sua resistência mecânica e rigidez. Essas tiras são unidas com resinas aplicadas sob altas temperaturas e pressão, por suas características é tratado como um painel estrutural. É extremamente resistente às intempéries.

As principais aplicações do OSB permitem usos como, paredes e tetos, base de pisos para aplicação de carpetes, pisos de madeira, ladrilhos, tapumes e barracões de obras, carrocerias, embalagens, estrutura de móveis, decoração e design.